OBJETIVIDADE

Uma estratégia bem direcionada, com objetivos claros estabelecidos, e mensagens alinhadas a esse objetivo torna-se mais efetiva. Aliado a isso, o conceito de “menos é mais” deve ser um mantra na mídia digital indoor: como uma mídia essencialmente visual, deve-se limitar o número de palavras em cada mensagem, para transmitir apenas o essencial, com o objetivo de complementar as imagens. Além disso, o espectador, ao final das mensagens, deve ser confrontado com um “CTA - Call to action” (chamada à ação) muito claro e direto.

ANIMAÇÃO ACERTIVA

Imagens sobrepostas com cenas de vídeo e que contem com animações, mesmo das mensagens textuais, têm um potencial de cativar a atenção dos espectadores, muito mais do que imagens estáticas. Além disso, o uso de imagens de produtos e situações da vida real tende a despertar mais interesse do que cenas artificiais.

O dinamismo nas cenas é, inclusive, objeto de diversos estudos, que indicam que mensagens mais curtas devem ser intercaladas com outras mais longas, para evitar situações de monotonia.

HONESTIDADE E ESPONTANIEDADE

Situações singelas têm muito valor na mídia indoor. Como uma mídia esporádica, que não conta com um longo envolvimento dos espectadores, situações honestas e espontâneas tendem a funcionar bem na criação do envolvimento.

Passar uma mensagem que seja condizente com o atendimento que será recebido, ou com a experiência de consumo ou utilização dos produtos e serviços é muito importante para gerar engajamento com os espectadores e não deixá-los frustrados.